Possibilidades para uma interpretação de sítios com arte pré-histórica: o caso do sítio Malacara I e Toca do Tatu